top of page
central-cop-30-belem-2025.gif

Entenda como a COP-30 pode atrair investimentos para o mercado imobiliário de Belém

Momento é propício para investimento no mercado de compra e venda

Cátia Zini, especialista imobiliária

O mundo voltou os olhares para Belém com a realização da COP-30, que ocorrerá na capital paraense no ano de 2025. Atentos a esse movimento, estudiosos e especialistas do mercado imobiliário estimam que este é o grande momento para investir nesse segmento favorecido pelo aumento na procura de imóveis comerciais para alugar, que pode refletir no mercado de compra e venda.


De acordo com os especialistas na área jurídica deve existir uma demanda relativa à elaboração de contratos e assessoria quanto à estruturação de contratos de aluguel, renovação contratual, especialmente, no que tange o aumento dos preços médios. Essa frase de Diogo Covêllo, que é especialista em direito imobiliário, revela a importância de estar atento à dinâmica de mercado.


O especialista aponta dois casos em que esse panorama pode se refletir. “Na ótica do empreendedor/locatário sugeriria incluir cláusulas de proteção à manutenção do contrato, caso o mercado oportunize aumento substancial dos aluguéis. Um exemplo seria prever condições que impeçam ou desestimulem rescisões antecipadas como multas e prazo de duração do contrato. Além de estabelecer detalhadamente como se darão os reajustes anuais”, sugere.


Diogo Covêllo diz que no caso do proprietário/locador do imóvel é importante fixar condições menos onerosas para a rescisão contratual unilateral e boas garantias. Além disso, ele diz que a pessoa deve prever outros elementos a serem levados em conta para realização dos reajustes, exemplo disso seria considerar a valorização média do imóvel na região para fins de cálculo de reajuste.


“De todo modo e independentemente do “lado” que o operador do direito esteja é de suma importância verificar as obrigações estipuladas às partes no contrato e cláusulas ambíguas que resultem em interpretações das mais variadas”, enfatiza Diogo Covêllo.


Na prática, ele que atua com seu escritório há mais de uma década na área imobiliária, destaca que é importante ainda a obtenção de conhecimento. “Dominar a legislação e deter conhecimento acerca da dinâmica imobiliária local, a fim de adequar o contrato à realidade do mercado é essencial. E, assim, o profissional estará apto a prestar um bom serviço que garanta previsibilidade e segurança jurídica aos seus contratantes”, destaca.


A especialista em imóveis e investimentos Cátia Zini ressalta os motivos para investir em imóveis. “Hoje em dia o principal motivo é fazer seu dinheiro trabalhar e valorizar da melhor forma, além de que é seguro o mercado imobiliário porque ele não se perde, crescendo você monta patrimônio e enriquece. É importante lembrar que você deve estar disposto a uma jornada muito lucrativa, porém de longo prazo”, pondera.


Os primeiros passos para quem não sabe como começar a fazer esse tipo de investimento. “Definir o objetivo, o que ele pretende alcançar, qual a realização que o fará sentir satisfeito. A partir daí pode-se definir o caminho a seguir: se um imóvel pronto ou na planta e os “porquês”. Procure sempre um consultor de credibilidade e visão ampla. Chegam a Belém muitas tendências consolidadas em grandes cidades e conhecer isso lhe gera um diferencial. Se você conhece, se antecipa e terá privilégios como a expressão popular ‘sobre beber água limpa’”, cita a especialista se referindo ao fato de se adiantar aos problemas, e com isso ter chance de errar, consertar, aprender e se consolidar.


Para aqueles que já fazem esse tipo de investimento, ela informa: “devem acompanhar o crescimento e a valorização invariavelmente investir mais ainda”, completa Cátia Zini.


Por: Wal Sarges


VEJA MAIS

Commentaires


Últimas notícias

Publique uma notícia

bottom of page