top of page
central-cop-30-belem-2025.gif

Programa irá investir R$3 bilhões na Amazônia até 2026

O anúncio foi feito no auditório do Parque Zoobotânico do Museu Goeldi, em Belém.

Foto: Reprodução/UFPA

Nesta semana, a ministra de Ciência, Tecnologia e Inovação, Luciana Santos, anunciou o Programa Mais Ciência na Amazônia, que vai investir R$ 3,4 bilhões entre 2024 e 2026, com recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT). O anúncio foi feito no auditório do Parque Zoobotânico do Museu Goeldi, em Belém.


Os investimentos serão direcionados para infraestrutura de pesquisa científica, produção de conhecimento sobre biodiversidade, estímulo à inovação, monitoramento aeroespacial, segurança alimentar, conectividade, capacitação atração e fixação de pesquisadores e preservação de acervos. Do valor global, R$ 700 milhões serão direcionados para a recuperação e modernização da infraestrutura de pesquisa por meio da reativação do Pró-Infra, R$ 800 milhões para apoiar inovação em áreas estratégicas, R$ 550 milhões para o desenvolvimento de novos satélites de sensoriamento remoto para monitoramento da Amazônia visando ao combate ao desmatamento e R$ 500 milhões serão aplicados por meio do Programa Pró-Amazônia para gerar conhecimento sobre a diversidade biológica e para o desenvolvimento de tecnologias e atividades econômicas inovadoras na perspectiva do uso sustentável das riquezas naturais da região.


Para a ministra Luciana Santos, o anúncio desses investimentos só foi possível com o compromisso do governo federal, de recuperar a integralidade dos recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT), na monta de R$ 10 bilhões. “Buscamos reverter os danos causados pelos sucessivos cortes no orçamento do MCTI e pela política de contingenciamento do FNDCT, uma demonstração de que a ciência faz parte da espinha dorsal do Estado brasileiro. Agora temos a oportunidade histórica de avançar na construção de um país inclusivo e sustentável a partir da ciência, tecnologia e inovação”, enfatizou a ministra.


O reitor da UFPA, Emmanuel Zagury Tourinho, participou da cerimônia de anúncio dos recursos para a ciência na Amazônia e celebrou: “Vivemos um momento especial no Brasil, com um governo que resgatou o prestígio e a importância da ciência brasileira. Este é um dia histórico. Nós lutamos por muitos anos nos congressos, nos gabinetes, nas reuniões, por uma política de investimento em ciência e tecnologia para a Amazônia. Parabenizo a ministra Luciana Santos pelo empenho, reconhecimento e sensibilidade do MCTI para a necessidade de fortalecer a pesquisa desenvolvida na Amazônia e pela compreensão do papel da ciência para qualquer esforço de solução dos grandes desafios que enfrentamos”.


Também estiveram presentes à cerimônia o presidente da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Celso Pansera; o secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Profissional e Tecnológica, representando o governador Hélder Barbalho; a secretária municipal de Educação de Belém, Araceli Lemos, representando o prefeito Edmilson Rodrigues; o diretor do Museu Paraense Emílio Goeldi, Nilson Gabas; entre outras autoridades e pesquisadores.


Fonte: Ascom UFPA


VEJA MAIS


Comments


Últimas notícias

Publique uma notícia