top of page

Por Que Afinal Elon Musk Comprou O Twitter; Eis Os Motivos

Aqui está um resumo de todo embate Musk X Twitter até os últimos instantes da negociação



É oficial, Elon Musk está comprando o Twitter. O acordo — endossado pelo fundador Jack Dorsey — vale cerca de US$ 44 bilhões, ou US$ 54,20 por ação, e o bilionário planeja tomar a empresa como privada. O que isso significa?


De acordo com o The Wall Street Journal, o usuário mais famoso do Twitter (também conhecido como troll do Twitter), que é o CEO da Tesla e da SpaceX, está adquirindo a empresa por US$ 44 bilhões. É a primeira vez que esse tipo transação acontece.



Então, como chegamos aqui?


Aqui está uma breve linha do tempo dos eventos que antecederam a compra:


  • 4 de abril: Musk revelou que comprou uma participação de 9,3% no Twitter — tornando-se o maior acionista da empresa

  • 5 de abril: Foi oferecido um assento no conselho, que mais tarde ele recusou

  • 14 de abril: Musk se ofereceu para comprar o Twitter por US$ 43 bilhões

  • 15 de abril: O conselho do Twitter adotou uma defesa de "pílula venenosa" — um movimento que impede aquisições indesejadas

  • 21 de abril: Musk garantiu financiamento para sua compra, incluindo US$25 bilhões em financiamento de dívida liderado pelo Morgan Stanley

  • 25 de abril: O Twitter aceitou a oferta de Musk


É isso que o mercado chama de aquisição hostil?


Musk, considerado por alguns o "maior vendedor de carros que já viveu", supostamente levou suas vendas para zoom na última sexta-feira, delineando suas intenções para um grupo de acionistas via videoconferência...


... que são o quê, exatamente?


Por que afinal Elon Musk comprou o Twitter


Eis os motivos.


Musk tem sido inflexível sobre várias mudanças que ele faria depois de tomar a empresa privada, incluindo:


  • Reduzindo a moderação de conteúdo: Musk tuitou que as políticas de uma plataforma de mídia social devem deixar tanto a esquerda quanto a direita igualmente infelizes, e disse que o Twitter tem o "potencial de ser a plataforma de liberdade de expressão em todo o mundo".

  • Eliminação de bots: Musk prometeu "derrotar os bots de spam ou morrer tentando" e "autenticar todos os humanos reais".

  • Confiando menos em publicidade: Em tweets já apagados, Musk defendeu o Twitter abraçando um modelo de assinatura e se livrando de anúncios para assinantes premium.

Além disso, Musk se juntou à elite do Twitter para defender novos recursos — incluindo um botão de edição, tweets mais longos e um algoritmo de código aberto.



Mas Musk tem muitos críticos...


... e eles não estão convencidos de que suas intenções são puras. Kyle Chayka, do New Yorker, argumenta que a oferta de Musk é uma tentativa de manter sua capacidade de influenciar milhões de pessoas sem interferência.


Se esse for o caso, as críticas passadas de Musk a Jeff Bezos e Marc Benioff, donos do The Washington Post e da revista Time, respectivamente, podem acabar parecendo comicamente hipócritas.


No entanto, ainda ontem, Musk estendeu um ramo de oliveira aos seus críticos, tuitando que ele espera que eles permaneçam na plataforma "porque é isso que significa liberdade de expressão".


Isso levanta a questão: você pode realmente confiar no bilionário?


Para ter uma ideia de como será a nova liderança da plataforma e ainda ter um vislumbre sobre como funciona uma aquisição de startups dessa magnitude, indicamos o vídeo:



Conteúdo original The Hustle


Quer saber mais? Siga Belém Negócios no Instagram.

bottom of page