top of page
Belem-negocios-connection.gif

E-Commerce 2023: Quais as Tendências que Marcarão o Mercado B2B?

Por Renato Ferraz, CEO da Easy B2B



O e-commerce B2B está provando que é uma vantagem para negócios entre empresas. Segundo a SmartHint, programa de busca inteligente para e-commerce, o varejo online teve um aumento no seu faturamento - em comparação ao período pré-pandêmico - chegando a alcançar um incrível percentual de 785% nos primeiros meses de 2022.


Tal aumento é resultado da adaptação do e-commerce no panorama social e econômico. Em referência ao B2B, Business to Business ( de empresas para empresas, em tradução livre), esta modalidade de negócios exerce as vendas e compras entre as corporações.



As vendas B2B crescem exponencialmente no cotidiano, seja por interações tradicionais ou pelo comércio eletrônico. Porém, o futuro reserva um uma expansão de vendas dentro do meio virtual. Conforme uma pesquisa elaborada pela McKinsey Company, 65% das empresas B2B estão vendendo exclusivamente no ambiente digital em 2022. Ainda na pesquisa, os dados revelam que fornecedores que realizam as vendas B2B online dominam melhor o jogo do mercado digital. Com isso, o e-commerce se tornou um canal de vendas essencial para as empresas B2B.


O e-commerce traz diversas vantagens para as empresas: vendas customizadas, fluxo de caixa mais sustentável, praticidade e melhor relacionamento com o cliente. De acordo com um estudo realizado pela NZN Intelligence, 74% dos consumidores preferem vendas online, o que mostra que este tipo de negócio é cogitado diante de seus benefícios.


Com isso, as empresas procuram estar mais antenadas com as diversas possibilidades de expansão e dinamicidade que o e-commerce pode oferecer. Segundo uma pesquisa do Google em parceria com a Euromonitor, a previsão é de que este ambiente online dos negócios cresça até 42% em 2025.


À medida que 2023 se aproxima, os donos dos negócios precisam estabelecer novas estratégias e recalcular algumas rotas para garantir que o seu comércio atinja números exponenciais para o mercado. Para que isso aconteça, é necessário estar ligado em algumas tendências no ecommerce que irão impactar o próximo ano.


Customização da experiência do cliente


Em um panorama de alta competitividade, a experiência do cliente é um ponto essencial e decisivo. Os negócios de vendas no ambiente digital tendem a facilitar cada vez mais na hora de adquirir os produtos.


A fim de romper barreiras no momento da compra, as plataformas White Label são cotadas para ser um diferencial no e-commerce em 2023. Elas são capazes de se adaptar a diferentes modalidades de negócios no mercado, proporcionando flexibilidade de personalização às prioridades e objetivo na esfera financeira.


De acordo com uma pesquisa realizada pela Opinion Box, empresa especializada em buscas inteligentes, 72% dos clientes esperam que as empresas os reconheçam como indivíduos singulares e que reconheçam seus interesses. As marcas B2B podem compreender seu público coletando regularmente dados do consumidor e utilizá-los para personalizar a jornada do comprador.


As plataformas em White Label personalizam o serviço. A empresa deixa o ambiente com a interface da sua marca e direciona o consumidor até o seu produto, o que evita uma possível concorrência e desperta a atenção exclusiva para o negócio.


O mercado é dinâmico, e muitas vezes alguns modelos de negócios são deixados de lado para que outros sejam implantados conforme o cenário se ergue. Com a plataforma White Label, isso não é um obstáculo: não importa para qual direção o mercado se inclina, a aplicação em White Label se remodela conforme a visão dos negócios.


Omnichannel


Esta tendência promete ser um trunfo para o ano de 2023. Caminhando ao lado da personalização das plataformas em White Label, o omnichannel refere-se a convergência entre os diferentes canais de uma corporação. Isto é, estamos falando de um modelo de vendas online que proporciona uma inserção nas experiências dos clientes, independente de qual canal eles interagem com a marca.


Após dois anos com a economia inconstante devido à pandemia de Covid-19, diversas empresas implantaram capacidades omnichannel em suas atividades. O resultado foi um crescimento exponencial efetivo: uma pesquisa realizada pela Adobe, avaliou que as corporações que aplicaram as técnicas omnichannel tiveram um aumento de 10% de receita anual.



O omnichannel é um impulsionador para o crescimento do ecommerce B2B nos próximos anos. Em um relatório produzido pela Mckinsey Company, que entrevistou 3.500 tomadores de decisões, foi avaliado que o que os clientes mais anseiam do omnichannel é mais canais, mais lucratividade e, por sua vez, uma experiência personalizada.


Agilidade nos pedidos


Atender as demandas e entregá-las aos clientes de forma mais rápida é uma forma das marcas B2B chamarem mais atenção dos compradores para o seu negócio.


Através da UPS, empresa líder no ramo da logística de remessa e entrega de encomendas, antes da pandemia, o tempo médio de entrega dos produtos era cerca de 2,96 dias. No final de 2020, no auge da disseminação da patologia, a média das entregas aumentou para 4,96 dias. Contudo, no fim do ano de 2021, os números caíram para cerca de 2 a 2,35 dias, marco menor do que era antes da pandemia.


Os dados mostram que o despacho das entregas se tornou um fator importante nas vendas B2B. Realizando uma experiência de compra fácil e entregar o produto em um curto prazo ao cliente, além de satisfazer o pedido, aumenta o desejo do consumidor de comprar novamente com a marca, o que dá mais credibilidade.


Sustentabilidade


A conscientização sobre as práticas ESG estão se consolidando cada vez mais dentro das empresas. A sigla abrange o conceito de sustentabilidade no âmbito interno e externo das corporações, e no ecommerce a tese sustentável é incluída como tendência para 2023.


Com a implementação de práticas mais ecológicas, as marcas B2B criam iniciativas que se alinham com a sustentabilidade, o que contribui tanto para o meio ambiente quanto para os negócios.


De acordo com uma análise feita pela Net0, empresa focada na neutralização da emissão do carbono, os clientes costumam ser 4,3 vezes mais fiéis a empresas que realizam práticas ecológicas e sustentáveis no mercado.


Desse modo, algumas iniciativas contam com embalagens, materiais de produtos ou redução do consumo de energia na fabricação, entre outras. Além disso, o ponto essencial é encontrar maneiras das empresas B2B serem mais ecológicas, o que será uma tendência importante para os próximos anos que se aproximam.


Com a chegada de 2023, as tendências do e-commerce B2B serão um divisor de águas para quem começar a implementá-las ao longo dos primeiros meses. Garantir que as marcas estejam por dentro das novas estratégias e táticas de comercialização ajuda a manter a empresa em alta na visão de potenciais clientes.



Sobre a Easy B2B


Fundada em 2019, a Easy B2B é uma startup de varejo digital destinada a facilitar o processo de compra e vendas entre empresas. Hoje a sua plataforma atua na aquisição de produtos em um funcionamento que até lembra os conhecidos marketplaces.


A plataforma que conecta indústrias, franquias, varejistas, fornecedores e distribuidores a oferecerem as melhores experiências personalizadas de compra e venda B2B,


A Easy B2B nasceu em uma imersão no Innovation Lab em São Francisco (EUA) em 2019, no Startup Base Camp. "A partir daquela ocasião, remodelamos nosso negócio para chegarmos onde estamos hoje, que é uma plataforma tecnológica que facilita o processo de compra e vendas entre empresas", explica Rafael Ferraz, cofundador e CPTO da startup.


O negócio foi criado com a percepção de que haveria algum momento em que a transformação digital atingiria as negociações entre empresas. A premissa foi confirmada com a pandemia, quando a Easy B2B registrou um aumento da adesão de novos usuários em sua plataforma devido às restrições impostas pela Covid-19.


Os indicadores chamaram a atenção a ponto da rodada da startup ser uma das mais bem sucedidas na plataforma de investimentos em startups CapTable, onde o projeto recebeu aporte de 349 investidores.


Veja também:

 

Conheça a Comunidade Belém Negócios. Faça networking e desenvolva novas habilidades.


Siga o perfil do Belém Negócios no Instagram.

Posts Relacionados

Ver tudo

Comments


Últimas notícias

Publique uma notícia

bottom of page