top of page
central-cop-30-belem-2025.gif

Belém, o Novo Polo de Inovação do Brasil

Atualizado: 17 de mai. de 2022

Conheça o ecossistema de inovação da cidade de Belém do Pará


Belém, o Novo Polo de Inovação do Brasil
Cidade de Belém. Imagem: Luciano Martins/Flickr

O Norte do Brasil está produzindo um grande movimento de inovação e tecnologia. Investidores, entidades, instituições financeiras, todos estão de olho nas ideias amazônicas. Editais públicos e privados estão correndo para captar as melhores startups. Isso se deve a iniciativa privada, que está lançando soluções inéditas e, consequentemente, erguendo o ecossistema para um patamar nacional. Neste cenário, Belém do Pará é a capital que mais se destaca.


Veja também:


A metrópole amazônica, que é rodeada por baías, rios, ilhas e florestas, tem um intricado, singular e promissor ecossistema de inovação. Mesmo com a sua infraestrutura achavascada, se apresenta como o mais novo polo de inovação do Brasil. Isso devido (grande parte) às ideias inovadoras de negócios que fixam endereço entre as famosas mangueiras da cidade.



A esfera pública tenta acompanhar a evolução natural dos negócios, mas ainda peca em alguns passos precipitados, como por exemplo, a criação e implementação de soluções pouco aplicáveis.


Citando...


... um aplicativo para feirantes que foi lançado pelo Governo do Estado. Sim, a ideia é boa, mas quem está baixando? Quem está comprando os produtos? Como os feirantes estão alimentando seus perfis na plataforma? Enquanto a solução não impacta como deveria, podemos lamentar o dinheiro que foi investido.


Que fique claro, não sou contra tais iniciativas. Mas deve existir um parâmetro para a atuação pública neste mercado. O que quero dizer é que em vez de investir em uma plataforma semelhante a muitas outras, deveriam direcionar os esforços para o mais básico: a infraestrutura das feiras. Leia-se: iluminação e segurança, por exemplo. E que deixem o resto com a iniciativa privada, o setor mais adequado para lidar com e-commerces digitais.


Pois bem, as entidades públicas querem acompanhar o mercado e não estão erradas por isso, só precisam entender como. É preciso implementar soluções que facilitem o acesso à informação, a agilidade dos serviços prestados ao setor privado, entre outras urgências.


Considerando tais parâmetros abstratos, trouxe a seguir, uma lista de boas iniciativas voltadas para a tecnologia e inovação, envolvendo os principais atuantes da região. Iniciativas essas que justificam o polo em ascensão.


Deve-se também observar (principalmente) seus fatores locacionais, que facilitam a criação de negócios realmente únicos no mundo. Se você quiser conhecer startups amazônicas, aqui está uma boa leitura.


Conheça o ecossistema de inovação de Belém:


Marketplace para startups


Uma ideia inovadora que já está em curso, e que partiu da plataforma Belém Negócios, inédita no Brasil. Trata-se de um marketplace para startups. Nele, os dois principais atores do setor de tecnologia e inovação (startups e investidores) se conectam em um ambiente otimizado.


Fundadores de startups podem cadastrar suas ideias de negócio para serem listadas na plataforma de forma gratuita. As informações mais relevantes para a tomada de decisão dos investidores são disponibilizadas de maneira simplificada. Diferente dos editais tradicionais que guardam os dados afim de utilizarem para seus próprios objetivos.


O projeto já conta com 6 startups listadas, entre as quais, está a Easy Gestor, vencedora da primeira edição do StartUP Pará.


Editais públicos de inovação


O Governo do Estado está com uma série de editais de inovação, a maioria ligada à segunda edição do StartUP Pará, cujo os recursos globais ultrapassam a casa dos R$ 7 milhões. Um número inédito em toda a história dos editais públicos para esta categoria no Estado.


Os subprogramas atendem diversos setores, bem como a cadeia produtiva, o empreendedorismo feminino, micro e pequenas empresas, a bioindústria, a tecnologia educacional e mais.



Aceleradoras


BioInovaTech Banpará - O BioInovaTech Banpará é um programa estratégico do Banco do Estado do Pará S.A. destinado a incentivar a inovação regional como meio para o desenvolvimento acelerado e sustentável da Amazônia.


Atualmente, o programa está com inscrições para o Gênese, projeto vinculado que está em busca de mentes inovadoras para participarem de um mentoria imersiva. Inscrições estão abertas até dia 15 de maio.


Amaz - A AMAZ Aceleradora de Impacto é um Programa de Aceleração e Investimento de Impacto da Plataforma Parceiros pela Amazônia. Após acelerar 30 startups, explorar a riqueza e a diversidade do ecossistema de impacto amazônico é reconhecido como o melhor programa de aceleração do Norte do país.


A Amaz está com um programa de aceleração aberto para inscrições. Negócios de impacto com atuação na Amazônia podem se candidatar à Chamada 2022 e concorrer à aceleração e investimentos de até R$ 600 mil.


Comunidades para startups


Açaí Valley - A Associção de Startups do Pará, também conhecida como Açaí Valley, é uma comunidade que oferece recursos essenciais para startups, como mentorias, mensuração, aceleração e ferramentas. O grupo está envolvido nos maiores eventos e iniciativas de inovação da região e também formou uma parceria com uma venture local, focada em negócios inovadores na área de comunicação.


ParáTic - A ParaTIC tem por finalidade organizar e incentivar o Desenvolvimento de Software e da Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) no Estado do Pará e na região Norte do Brasil, por meio de empresas privadas do setor.


São mais de 13 empresas associadas e 18 startups ligadas ao projeto.


Espaços para negócios inovadores


Parque de Ciência e Tecnologia - O PCT Guamá é o primeiro parque tecnológico a entrar em operação na Amazônia. O objetivo é estimular a pesquisa aplicada, o empreendedorismo inovador, a prestação de serviços e a transferência de tecnologia para o desenvolvimento de produtos e serviços de maior valor agregado e fortemente competitivos.


Os recursos investidos na construção e consolidação do PCT são oriundos do Governo do Estado do Pará por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Técnica e Tecnológica (Sectet) em parceria com o Banco de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES. Definidas a partir das vocações do estado do Pará e das competências regionais instaladas, as áreas estratégicas de atuação do PCT Guamá são focadas em Biotecnologia; Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC); Energia; Tecnologia Ambiental e Tecnologia Mineral.


Elephant Coworking - Um dos espaços colaborativos mais conhecidos de Belém, o Elephant organiza eventos de empreendedorismo e inovação, além de facilitar acesso a mentorias.


Todos os eventos são abertos ao público, tanto para quem participa quanto para quem realiza. O coworking disponibiliza ambientes estruturados para workshops, cursos e palestras.



Quer saber mais sobre inovação e tecnologia? Continue lendo Belém Negócios.

Comments


Últimas notícias

Publique uma notícia

bottom of page