top of page
central-cop-30-belem-2025.gif

Vídeo: Você Já Ouviu Falar Em Navios 'kitesurfistas'?

A ideia partiu de engenheiros que trabalhavam para a Airbus

Imagem: courtesy Airseas

Quando o infame navio porta-contêineres, Ever Given, ficou preso no Canal de Suez no ano passado, isso causou um congestionamento global sem precedentes que reverberou nas cadeias de suprimentos por meses. Isso porque, todos os dias, 55.000 navios mercantes cruzam os oceanos. Quase todos esses navios funcionam com combustíveis fósseis; agora, a empresa francesa Airseas espera mudar isso com a ajuda de uma força invisível: o vento.


Fundada por ex-engenheiros da Airbus, a Airseas projetou um sistema de pipa de 10.000 pés quadrados denominado Seawing. Ele pode ser acionado com o toque de um botão e ajuda a rebocar grandes navios de carga, aproveitando a força do vento. Pense nisso como uma configuração épica de kitesurf, onde a pipa é operada por um sistema de controle de vôo automatizado desenvolvido pela primeira vez para a indústria aeroespacial - e o kitesurfista é, bem, um navio de carga de 50.000 toneladas.


O transporte marítimo é responsável por cerca de 2,5% das emissões globais de gases de efeito estufa (quase tanto quanto os aviões). Airseas estima que a Seawing poderia reduzir os custos de combustível e as emissões de carbono em pelo menos 20% - e o primeiro navio de carga equipado com um está cruzando o Atlântico neste momento.


A Airseas foi fundada em 2016, após um projeto piloto de sucesso que usou uma pipa menor de 170 pés quadrados. Agora, uma pipa de 5.400 pés quadrados (metade do tamanho do que será) foi instalada em um navio de carga de US $ 30 milhões e 505 pés de comprimento que deixou a costa francesa da Bretanha em 14 de dezembro.


Pertencente e operado pela Louis Dreyfus e fretado pela Airbus, o chamado Ville de Bordeaux transporta os principais componentes de aeronaves entre a França e os Estados Unidos. (O sistema pode ser instalado em qualquer tipo de navio, incluindo navios de cruzeiro; mas, por enquanto, o foco da empresa está em navios mercantes, como navios porta-contêineres e petroleiros.)



(O conteúdo completa da matéria, você encontra em Fast Company)

Comments


Últimas notícias

Publique uma notícia