top of page
central-cop-30-belem-2025.gif

Região Norte tem aumento no número de vendas de imóveis; saiba mais

Os dados são da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) e indicam uma alta de 38,1% no comparativo de períodos de 2022 e 2023


Foto: Ag. Belém

Um estudos da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), indicou que os números de lançamentos e vendas de imóveis caíram no Brasil em 2023, em comparação a 2022. Segundo os dados, a diminuição no número de novas unidades residenciais lançadas foi de 11,4%, o que representa menos 37.997 unidades lançadas em 2023 em comparação ao mesmo período de 2022.


O norte do Brasil acompanhou a tendência na diminuição de unidades lançadas, com uma redução de 35,5% no último trimestre de 2023 em comparação ao mesmo período do ano anterior. Porém, o número de unidades vendidas no mesmo período foi superior a média nacional, com 2.285 unidades vendidas em 2023 contra 1.655 unidades vendidas no mesmo período de 2022. Os números representam uma alta de 38,1%.


“A região Norte, em especial o Pará, vem nessa tendência superior a média nacional, pois o estado vem tendo destaque nacional e político, o que movimenta os holofotes dos investidores. Diante de tantos eventos nacionais e internacionais movimentando o estado, é esperado que o mercado fique aquecido. Grandes obras, puxam grandes investimentos e empreendimentos. É tempo de aproveitar o momento e pensar nos legados”, diz Marlene Felippe, presidente do CRECI-PA, ao O Liberal.


“Podemos atribuir esse comportamento diferenciado existente por três razões: demanda regional, pois a região Norte tem uma demanda específica por imóveis que não foi afetada pelas mesmas condições econômicas ou sociais que impactaram outras áreas do país; investimentos e infraestrutura que possibilitaram o desenvolvimento urbano ou programas habitacionais que impulsionaram o mercado imobiliário na região, contrabalançando a tendência nacional; e setores econômicos, pois a economia da região Norte está ligada a setores que não foram tão afetados pela crise e que apresentaram crescimento, como agronegócio, mineração e o turismo”, diz Genardo Chaves de Oliveira, especialista no Mercado Imobiliário paraense, também ao O Liberal.


No âmbito nacional, os dados mostram que o 4º trimestre de 2023 registrou uma queda de 10,9% nos lançamentos em relação ao mesmo período de 2022.


Para 2024, levando em consideração a continuidade da queda dos juros, maior solidez do governo e da política econômica e o andamento do programa Minha Casa Minha Vida, a CBIC projeta estabilidade nos lançamentos.


Já em relação a valorização patrimonial, houve uma valorização de 2,9% no índice de preço dos imóveis no último trimestre de 2023, apontando para uma tendência de crescimento no setor.


Com informações de O Liberal


Leia Mais:

Comments


Últimas notícias

Publique uma notícia

bottom of page