top of page
Belem-negocios-connection.gif

Prefeitura assina ordem de serviço de R$ 136,5 milhões para início das obras do BRT da Júlio César

A obra será dividida em duas fases, pré e pós COP-30. A primeira parte da obra tem previsão de entrega de até 18 meses

Obras BRT Júlio César R$ 136,5 milhões

A Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria de Urbanismo (Seurb), assina Ordem de Serviço (OS) no valor de R$ 136,5 milhões para o início das obras do BRT (Busd Rapid Transit) da avenida Júlio César. 


A OS será assinada pelo prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues, e pelo secretário municipal de Urbanismo, Lélio Costa, na manhã desta sexta-feira, 7, na praça Dom Mário de Miranda Vilas-Boas, em Val-de-Cans. A praça também recebe obras de reforma e revitalização e será entregue ainda neste mês de junho pela Prefeitura de Belém, via Seurb. 


O BRT da Júlio César é mais uma obra prioritária à preparação da cidade para a Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas, também chamada de COP-30, que ocorrerá em novembro de 2025 e deixará um grande legado para a capital paraense.


O projeto será executado pela Consórcio TP BRT Centenário e conta com duas fases. A primeira delas com prazo de execução em 18 meses. A obra ocorrerá na avenida Júlio César, entre a praça São Cristóvão e o Aeroporto Internacional de Belém, em Val-de-Cans. 


De modo geral, a obra envolve serviços de terraplenagem, pavimentação, drenagem, sinalização, paisagismo, obras de artes especiais ( que, em engenharia, são obras de construção civil como pontes, viadutos, passarelas e túneis), estações de passageiros e obras de reurbanização destinados à implantação do sistema BRT, na avenida Júlio César. 


Pré-COP - Esta primeira etapa de implantação é a pré-COP. Com prazo de execução em 18 meses, nela haverá a execução de ponte (elevado) entre avenida Paulo Frota e o Aeroporto Internacional de Belém, alargamento das alças do elevado Daniel Berg, reforço da cabeceira da ponte sobre o canal São Joaquim e inserção de faixa de via preferencial e recapeamento e sinalização horizontal da via. 


Pós-COP - Já na fase de implantação pós-COP haverá a execução das Estações de Passageiros, execução das canaletas (pavimento rígido) de tráfego do BRT, restauração das vias de tráfego de veículos (pavimento flexível), ciclovias, passeios, urbanização,  iluminação e drenagem. 


A Prefeitura de Belém reforça que todas as decisões foram discutidas e analisadas em reuniões entre a Seurb, a Caixa Econômica Federal, o Ministério das Cidades, Consórcio Gerenciador TPF-Encibra e representantes do Consórcio construtor TP-BRT Centenário. 

As Licenças Ambientais Prévias (LP) e de Instalação (LI) já foram emitidas pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma).


Agência Belém



コメント


Últimas notícias

Publique uma notícia

bottom of page