top of page
Belem-negocios-connection.gif

O Que O Google, Facebook E Twitter Estão Fazendo Para Combater 'Fake News' Sobre A Ucrânia

Autoridades internacionais estão pressionando as redes sociais americanas para controlarem a proliferação de notícias falsas sobre o país invadido



Em uma carta conjunta aos principais executivos das três empresas, quatro primeiros-ministros criticaram as gigantes da tecnologia dos EUA, dizendo que o que eles fizeram até agora é inadequado.


A unidade da Alphabet Google e sua subsidiária YouTube, Facebook e Twitter devem fazer mais para combater a desinformação relacionada à invasão da Ucrânia pela Rússia, disseram os premieres da Polônia, Lituânia, Letônia e Estônia. As informações são da Agência Reuters.



Em uma carta conjunta aos principais executivos das quatro empresas datada de 27 de fevereiro, os quatro primeiros-ministros criticaram os gigantes da tecnologia dos EUA, dizendo que o que eles fizeram até agora é inadequado.


"Embora as plataformas online tenham empreendido esforços significativos para enfrentar o ataque sem precedentes do governo russo à verdade, eles não fizeram o suficiente", disseram eles na carta.


"A desinformação russa tem sido tolerada em plataformas online há anos; eles são agora um acessório para a guerra criminosa de agressão que o governo russo está conduzindo contra a Ucrânia e o mundo livre."



Eles exortaram as empresas a suspender proativamente as contas negando, glorificando ou justificando guerras de agressão, crimes de guerra e crimes contra a humanidade.


Eles também exortaram os gigantes da tecnologia a suspender as contas oficiais de instituições governamentais russas e bielorrussas, mídia controlada pelo Estado e contas pessoais da liderança dos países e seus associados que constantemente disseminam desinformação sobre a situação na Ucrânia.


Os países pediram às empresas que impedissem que a mídia estatal russa contornasse as restrições impostas por vários reguladores nacionais contra elas.


As plataformas online devem ajustar seus algoritmos de pesquisa e recomendação para informar os usuários sobre desinformação e desmonetizar imediatamente todas as contas controladas pelos governos russo e bielorrusso, disseram eles.


A Meta (ex-Faceboook) anunciou medidas para combater a propagação de fake news e atos ilícitos no Facebook, levando mais segurança à população ucraniana durante o conflito com a Rússia. Em resposta, o governo Putin ameaçou restringir os serviços no país.



Quer saber mais? Siga o Belém Negócios no Instagram e no Google News.

コメント


Últimas notícias

Publique uma notícia

bottom of page