top of page
Belem-negocios-connection.gif

Novo imposto deve afetar negativamente bares e restaurantes de Belém; veja repercussão

Representantes temem mais um aumento e clientes já reclamam dos preços. As informações são do O Liberal


Novo imposto bares e restaurantes Belém
Restaurante Pobre Juan, em Belém

Dados da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) apontam que 39% dos estabelecimentos do segmento não estão conseguindo acompanhar a inflação, que corresponde a 1,99%. No Pará, representantes do setor relatam reclamações de clientes devido aos aumentos recentes, temem novos impostos e planejam soluções alternativas para recuperar os lucros. Entre as decisões aguardadas, a inclusão de alíquotas mais altas sobre bebidas adoçadas, previstas na regulamentação da reforma tributária, pode ser  “mais um empecilho”, como descreve Teodoro Porto, sócio e administrador de bares em Belém.


O levantamento da Abrasel ressalta que o preço de insumos, alimentos e bebidas subiram 4,2% neste ano, mas a inflação do setor foi de apenas 1,99%. Os números refletem um cenário de prejuízos, pouco lucro e até endividamentos dos estabelecimentos do segmento. Do total de 2.416 empreendimentos pesquisados, cerca de 1.500, ou seja, 64%, não lucraram.


Entre os que ficaram abaixo da margem de lucro, aproximadamente 370 estabelecimentos, isto é, 25%, registraram prejuízos, mais de 600 deles, o equivalente a 39%, alcançaram algum equilíbrio, e em torno de 800 dos pesquisados, ou seja, 36%, conseguiram lucrar.


O sócio e administrador de bares na capital paraense, Teodoro Porto, destaca um custo mensal com alimentos e bebidas de em média 35%. Segundo ele, com novos aumentos recebidos nos últimos meses sobre esses itens, consumidores sentiram o reajuste no valor do produto final e já estariam reclamando. “Alguns clientes reclamaram principalmente dos valores dos petiscos, porque as pessoas gostam de beber e consumir alguma coisa”, afirma.


Mais impostos

A decisão de aplicar o imposto sobre bebidas açucaradas, está entre os próximos possíveis impactos no setor que utiliza bastante o produto em drinks e outras bebidas. A proposta está prevista na regulamentação da reforma tributária, ainda em discussão na câmara dos deputados. Segundo o presidente da Abrasel, Paulo Solmucci, os “estabelecimentos já estão lutando para manter os preços acessíveis aos consumidores e aumentar essa carga tributária só irá agravar a situação”.


Novo imposto bares e restaurantes Belém
Foto: O Liberal

Para o empresário paraense, Teodoro Porto, mais um imposto representaria um empecilho aos estabelecimentos que já lidam com preços elevados, entretanto, projeta soluções alternativas para lidar com uma possível piora no desempenho do segmento. “Acredito que os empresários aqui em Belém possuem um olhar atento em relação aos seus clientes, percebendo realmente as suas necessidades e tentando atingir isso com propostas, com ideias diferentes, tanto de lugar, quanto de oferecer serviços de alta qualidade”, explica. Para Porto, a criatividade dos empreendedores locais permite que sempre identifiquem boas oportunidades para lidar com crises.


Endividamento

A pesquisa apresenta também um dado alarmante quanto ao número de estabelecimentos endividados, que de acordo com a pesquisa, representam 39% dos negócios. Desses, 69% devem impostos federais, como parcelas do Simples e imposto de renda, 48% devem impostos estaduais, 39% empréstimos em atraso e 29% encargos trabalhistas. O presidente da entidade destaca riscos a toda economia e a necessidade de incentivos ao setor.


"A inadimplência não afeta apenas o nosso setor, mas também impacta negativamente toda a economia do país. Precisamos de medidas que incentivem a recuperação e não que penalizem ainda mais quem já está fragilizado", conclui.


Fonte: Maycon Marte/O Liberal


コメント


Últimas notícias

Publique uma notícia

bottom of page