top of page
Belem-negocios-connection.gif

Gaslighting no Trabalho: Como Identificá-lo e Evitá-lo

Discriminação contra colega de trabalho. Comentários inapropriados a um subordinado. Algumas formas de assédio no local de trabalho são óbvias, mas outras nem tanto



Uma pesquisa mostra que 58% das pessoas já experimentaram gaslighting no trabalho; outro estudo descobriu que enquanto 30% a 50% dos líderes são transformacionais, 8% a 10% são essencialmente tóxicos (improváveis ​​de mudar).


Mas um ambiente de trabalho insalubre é ruim para os negócios – como diz o velho ditado, as pessoas não desistem de empregos, elas desistem de chefes. Como empreendedor, vale a pena treinar seus gerentes para identificar e combater o gaslighting para garantir que seus funcionários estejam em condições de prosperar.



O que é 'gaslighting'?


Gaslighting é uma forma de manipulação psicológica em que o agressor nega que suas ações estejam causando danos ou o convence de que sua percepção da realidade está errada. Alguns gaslighters podem ser charmosos e convincentes, tornando-os difíceis de identificar como abusivos.


Então, de onde vem esse termo?


É baseado em uma peça de 1938 chamada Gaslight (mais tarde adaptada para um filme), onde o marido da personagem principal ao longo do tempo a convence de que ela estava enlouquecendo (ela não estava – era tudo ele). Como o termo se encaixa, as pessoas (e psicólogos) o usam para identificar esse comportamento.


Como acontece o gaslighting?


Uma maneira comum de um gaslighter manipular uma vítima é usando comunicação indireta. Eles podem deliberadamente enganar a vítima ou omitir informações importantes ao dar instruções. Por exemplo:


Um funcionário está ausente e o chefe pede que você apresente na próxima reunião. Ele lhe dá os slides, mas nenhum contexto quanto ao propósito da apresentação. Então, ao apresentar o projeto, você não está preparado para as perguntas do cliente.


Às vezes, o gaslighter afirma que eles disseram algo totalmente diferente do que a vítima “lembra”, fazendo-os sentir que ouviram errado. Quando feito com bastante frequência, a vítima pode sentir que está enlouquecendo ou que algo está errado com ela.


Por exemplo: um colega de trabalho faz comentários inapropriados para você, então você fala com seu gerente. Mas quando o colega de trabalho conta seu lado, ele inventa uma história totalmente diferente e desafia sua lembrança dos eventos. O objetivo é fazer você parecer incompetente ou esquecido, para que todos (incluindo você) adivinhem o que realmente aconteceu.


Sinais de gaslighting no trabalho


Os sinais de gaslighting podem ser sutis e difíceis de detectar. Aqui está uma olhada nos principais sinais que você pode ver de chefes e subordinados do gaslighting.


Sinais de gaslighting dos chefes


É comum que o gaslighting ocorra entre uma pessoa de poder e um subordinado, pois o chefe pode afirmar ser o “certo” e ninguém pode dizer o contrário. Quando desmarcado, isso pode se transformar em um gaslighting consistente.


Os comportamentos dos chefes do gaslighting geralmente incluem:


  • Evita transparência para pegar você desprevenido (por exemplo, convidar um funcionário para um evento que é apenas para membros do conselho ou tem um código de vestimenta específico, mas não divulga isso)

  • Nunca grava atas ou notas de reuniões para que possam mudar mais tarde (por exemplo, mudar o que foi dito nas reuniões para culpar os outros quando as metas não são alcançadas)

  • Desconsidera as políticas, a menos que isso ajude o negócio (por exemplo, não acompanhar uma reclamação de funcionário que possa prejudicar a reputação da empresa)

  • Não fornece detalhes completos (por exemplo, não divulga todas as informações que um trabalhador pode precisar para concluir um projeto)

  • Muda com frequência os postos de metas ou as descrições de cargos sem motivo (para culpar os funcionários que “não conseguem”)


Sinais de gaslighting de subordinados


Políticas de escritório são comuns e podem levar colegas de trabalho a criticar uns aos outros para ganhar posições de poder. É uma tática que alguns usam para chutar os outros para obter uma vantagem (por exemplo, ganhar uma promoção).


Aqui estão alguns sinais para procurar:


  • Roubar crédito pelo trabalho (por exemplo, apresentar a ideia de um colega de trabalho como sua)

  • Causar problemas entre colegas (por exemplo, torcer as palavras que um colega de trabalho disse sobre outra pessoa)

  • Intimidar colegas (uma maneira de escaparem ao roubar crédito pelo trabalho)

  • Criar histórias falsas sobre colegas de trabalho (por exemplo, falsas acusações de assédio)

  • Destruir a confiança de um colega de trabalho (por exemplo, questionar seus métodos, mesmo que estejam corretos, ou minar suas reclamações, mesmo que sejam legítimas)


Exemplos de gaslighting no trabalho


O gaslighting no trabalho pode acontecer em três cenários:

  • Gerentes de gaslighting funcionários

  • Colegas de trabalho gaslighting um ao outro

  • Gaslighting em grupo (por exemplo, gerentes ou colegas de trabalho se unindo a um funcionário)

Gaslighting no trabalho pelo chefe


Nem sempre é fácil dizer quando um chefe é um gaslighter porque suas intenções podem parecer inócuas. Por exemplo, um chefe que oferece a oportunidade de trabalhar em um projeto importante – depois cria obstáculos para impedir os esforços de um funcionário.


Depois, há chefes que mostram um favoritismo flagrante por certos funcionários, fornecendo treinamento a um punhado de trabalhadores para dar-lhes uma vantagem, enquanto inventam obstáculos para impedir que outros avancem.


Em outros casos, um gerente pode tentar humilhar um funcionário mesmo que ele tenha feito seu trabalho.



Gaslighting no trabalho por subordinados


O gaslighting entre funcionários pode ser igualmente problemático. Um colega de trabalho pode tentar fazer um colega de equipe se sentir inadequado, fazendo comentários como: “Entendo por que você demora tanto para terminar esses relatórios” ou “Por que você não faz assim, seria mais fácil?”


Isso pode parecer que eles estão tentando ser úteis, mas com o tempo, isso pode fazer a vítima duvidar de suas próprias habilidades, especialmente se não estiver recebendo elogios por suas conquistas.


Gaslighting pode ocorrer em todos os departamentos. Por exemplo, alguém da área de contabilidade pode informar a um funcionário sobre quando enviará um pagamento, depois voltar e reivindicar uma data diferente. Se não fosse por escrito, poderia ser difícil provar quem está correto.


Isso pode acontecer em outros cenários, como quando um funcionário inventa uma história para fazer outra pessoa ficar mal. O Dr. Steve Mascarin, proprietário da Taunton Village Dental, lembrou-se de um trabalho anterior em que um colega se sentava atrás dele, olhava para o computador e fazia comentários sobre seu trabalho. Ele disse a ela que apreciava o feedback, mas queria fazer as coisas do jeito dele.


“Ela [então] foi e disse ao chefe que eu a desrespeitei, fiquei com raiva e a chamei de um nome feio”, diz Mascarin. “Fui chamado ao escritório e questionado. Contei meu lado da história, mas meu chefe não conseguiu determinar a verdade para satisfazê-los. Comecei a anotar coisas sobre as interações com esse colega de trabalho para ter evidências com horários e datas da próxima vez que isso acontecesse. Ela foi avisada sobre seu comportamento e parou”.


Gaslighting no trabalho por grupos de funcionários


O gaslighting em grupo pode ocorrer tanto com a gerência quanto com os subordinados. Por exemplo, um gerente pode pedir a um funcionário para vir a uma reunião e depois perguntar por que ele está lá quando chega.


Quando o funcionário tenta explicar, outro gerente entra na conversa e afirma que o funcionário deve estar enganado. Ou pior, eles fazem a acusação de que o funcionário muitas vezes confunde as instruções.


Outro exemplo é quando um funcionário engana outro colega ao desorientá-lo sobre os detalhes de um projeto (processo, prazo, etc.). Quando chega a hora de entregá-lo, o funcionário enfrenta decepção da gestão.


Se a vítima tentar culpar o gaslighter, os companheiros de equipe ficam do lado do gaslighter e redirecionam a culpa para a vítima.


Tanya Klien, CEO da Anta Plumbing, teve que fazer de tudo para provar que não estava enlouquecendo. Depois que um projeto era assinado, alguém perdia a documentação que o comprovava. O funcionário (que perdeu a papelada) posteriormente insistiu que nunca foi assinado.


“Eles tentaram muito me convencer de que eu cometi um erro. Uma busca foi feita até que a papelada fosse encontrada, a meu critério. A situação foi resolvida quando foi encontrada, mas ninguém foi punido, pois a maioria [colegas de trabalho] determinou que foi um erro honesto.”


Como responder ao gaslighting no trabalho


Comece treinando a liderança (e você mesmo) sobre as diferentes formas de abuso emocional, incluindo gaslighting. Aprenda a entender os sinais de gaslighting e crie políticas de tolerância zero para impedir o comportamento. E quando isso acontecer, remova o criminoso da empresa imediatamente.


Também é útil educar os trabalhadores sobre como responder ao gaslighting.


Por exemplo, peça aos funcionários para:

  • Documente tudo, incluindo e-mails, memorandos de reuniões e conversas

  • Pergunte aos colegas de trabalho se eles estão tendo a mesma experiência

  • Converse com os recursos humanos e veja se os comportamentos de seus colegas ou gerentes vão contra as políticas da empresa

Como chefe, é seu papel acreditar nos funcionários quando eles trazem à tona o gaslighting e o investigam. Fale com o suposto gaslighter cara a cara e revise as evidências compiladas contra eles. Envolva o RH e analise as entrevistas de saída da equipe do gerente para ver se há um padrão.


No futuro, fique de olho nos líderes de equipe. Quando você perceber que a gerência exclui funcionários ou mostra comportamentos tóxicos, intervenha imediatamente.


Para evitar escritórios tóxicos, a palestrante do TEDx e especialista em ambiente de trabalho Bonnie Low-Kramen aconselha a construção de sua empresa e pipeline de talentos com atenção. “Contrate de forma inteligente e lenta. Cerque-se de pessoas que entendem sua missão e objetivos e combinam com seu ritmo e estilo de trabalho. Defina expectativas claras para sua equipe e seja transparente com eles sobre como você opera.”


“Diga a eles como eles 'ganham com você' e como 'perdem com você'. Conheça seu pessoal e entenda como trabalhar para você os serve. Os executivos precisam saber disso. Fazer isso antes de contratar alguém constrói um caminho para o sucesso”, diz Low-Kramen.



*Conteúdo publicado originalmente no The Hustle

 

Quer receber mais notícias como essa? Faça parte do nosso grupo do WhatsApp e siga nosso perfil do Instagram.


Junte-se a nós. Leia conteúdos exclusivos e acesse ferramentas premium. Assine o Belém Negócios. Planos a partir de R$9,90/mês.

1 Comment


Miriam Silva
Miriam Silva
Mar 05, 2023

Excelente artigo! Estou passando por isso e entrei de licença médica. Pesquisando artigos para me preparar para o retorno. Seria possível um que abordasse esse crime em serviço público? Grata.

Like

Últimas notícias

Publique uma notícia

bottom of page