top of page
central-cop-30-belem-2025.gif

Paraense Ganhou Um Dos Maiores Prêmios Da Literatura Brasileira

Ele levou o prêmio de melhor romance, com livro que trata do Pará em uma realidade alternativa, colônia de Portugal até os 60


Fábio Horácio-Castro, escritor estreante paraense

O Prêmio Sesc de Literatura, um dos mais importantes do País na distinção de escritores inéditos, anunciou na última sexta-feira (18) os vencedores da edição 2021, nas categorias Romance e Conto. Na edição de 2021, os selecionados foram o paraense Fábio Horácio-Castro, com o romance “O réptil melancólico”, e o pernambucano Diogo Monteiro, com a coletânea de contos “O que a casa criou”. Os livros dos dois vencedores serão publicados em outubro pela editora Record, parceira do Prêmio Sesc desde a sua criação.



Fábio Horácio-Castro, paraense e jornalista de formação, de 52 anos, é professor universitário e venceu com o romance “O réptil melancólico”.


“É a minha primeira participação no Prêmio Sesc e não esperava vencer na categoria. Escrevo mais sobre pesquisas relacionadas à Amazonia. Como eu tinha um projeto deste livro, aproveitei o isolamento da pandemia, finalizei a obra e me inscrevi. Fiquei muito contente com o retorno”, comemora.


A obra: O Réptil Melancólico


Conta uma realidade alternativa, em que o estado do Pará permaneceu colônia portuguesa até os anos 1960.


Obra trata de colonialidade, colonialismo e colonização, das alegorias sobre a Amazônia e da Amazônia como alegoria. A narrativa parte do retorno de Felipe para sua cidade, após longa estadia fora do país. Ele seguira para o exílio na primeira infância, levado por sua mãe, militante política perseguida e torturada pelo regime militar brasileiro. Nesse processo de retorno, restabelece contato com a família paterna, particularmente com seu primo Miguel, que está fazendo o caminho oposto: o de partir da cidade.


(Trechos de Sesc Alagoas)

Comentários


Últimas notícias

Publique uma notícia