top of page

Ela foi selecionada para compor um dos maiores programas de inovação do Brasil

Empreendedora paraense criou uma startup de Sex Shop voltada para diversidade e foi selecionada para compor uma das maiores redes de inovação do Brasil e da América Latina.


Elva Vieira, empreendedora paraense, criou a startup Alô Abigail, um sex shop voltado para um público inexplicavelmente pouco explorado pelo mercado: o não normativo.


Desde muito jovem, Elva demonstrou interesse por temáticas que envolviam sexualidade e relacionamentos. Lia livros sobre sexo, reprodução e comportamentos. No meio do caminho, se descobriu não monogâmica e pansexual; e isso a ajudou a entender muita coisa sobre desejo, sexualidade, identidade e relações não normativas e não românticas.


Sendo uma mulher que falava abertamente sobre sexo, não demorou muito para entender que as pessoas talvez não conseguissem entender esse jeito de ser. Por outro lado, sempre foi do tipo que era procurada para conversar quando as pessoas não tinham mais ninguém que pudessem ouvi-las sem julgá-las.


"É incrível como as pessoas se sentem acanhadas, com medo de explorar o próprio corpo, de questionar suas sexualidades, seus desejos", ela comenta.


Tendo isso em mente e também sabendo que, no geral, os sex shops são heteronormativos (longe de atrair os olhares de todas as pessoas, de forma inclusiva), resolveu investir em um e-commerce de produtos voltados justamente para o público não normativo.


Elva afirma que, no começo, foi difícil reunir os produtos certos. Produtos que tinham sinergia com a marca.


"Uma vez ouvi que sextoys são artigos de luxo. Eu discordo. Quando a Alô Abigail foi concebida, foi justamente para levar o prazer para todes, acolher a diversidade de corpos, sexos, identidades e desejos. É um objetivo audacioso e ainda falta muito para chegar lá, mas seguimos na busca".


Com menos de um ano de vida, a empresa foi selecionada pelo BID Itaú, um programa de inovação e tecnologia, ligado ao Itaú. Foram 30 startups das regiões Norte e Nordeste selecionadas para participar do programa BID ao Cubo: Diversidade.


No Pará, três startups estão participando, sendo a Rural X e a Pupti as outras duas selecionadas.


As empresas estarão em uma jornada de 4 semanas, baseadas na metodologia Galápagos, que inclui um acompanhamento e entregáveis bem definidos, para que startups em estágio inicial obtenham os seus primeiros resultados.


"A Alô Abigail foi o jeito que eu encontrei para ajudar as pessoas a se descobrirem, a explorarem o corpo, a se amarem e se aceitarem. E é só o começo", diz Elva.


A Alô Abigail está sediada em Belém, mas atende também a cidade de Ananindeua.


bottom of page