top of page
central-cop-30-belem-2025.gif

Conheça o cenário de inovação e competitividade do estado do Pará

O índice de competitividade dos estados considera 10 pilares fundamentais para a promoção da competitividade e melhoria da gestão estadual e é realizado pelo Centro de Liderança Pública


Cenário de inovação competitividade Pará

Segundo o Ranking de Competitividade dos Estados 2023, o Pará é o 3° estado que mais inova na região norte, ficando atrás apenas do Amazonas e de Rondônia, sendo o 18° no ranking nacional. 


O índice de competitividade dos estados considera 10 pilares: infraestrutura, sustentabilidade social, segurança pública, educação, solidez fiscal, eficiência da máquina pública, capital humano, sustentabilidade ambiental, potencial de mercado e inovação. 


Esses indicadores foram considerados fundamentais para a promoção da competitividade e melhoria da gestão estadual pelo Centro de Liderança Pública, que elabora o ranking desde 2011. 


Inovação

Segundo a pesquisa, “a inovação envolve a introdução de novas técnicas e métodos que transformam positivamente os processos existentes no interior das empresas, organizações e da sociedade em geral. Envolve, portanto, uma melhora significativa, que, em geral, substitui práticas e processos anteriores”. 


Dentro dessa perspectiva, a pesquisa utilizou sete indicadores para mensurar a inovação de cada estado. São esses indicadores: investimentos públicos em P&D, patentes, bolsa de mestrado e doutorado, empreendimentos inovadores, pesquisa científica, informação e comunicação e empresas de alto crescimento. 


No quesito “empreendimentos inovadores”, o Pará está na 24ª colocação, sendo o penúltimo Estado da Região Norte a aparecer, a frente apenas do Acre. Segundo o relatório, este indicador compreende o número de aceleradoras, incubadoras, parques tecnológicos e parques científicos associados à Anprotec (Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores) para cada 1 milhão de habitantes.


No indicador "inovação - empresas de alto crescimento", o Estado está na 5º em um pódio formado apenas por estados do norte, com Amapá em 1°, Acre em 2°, Amazonas em 3° e Roraima em 4°. A pesquisa entende que fazem parte dessa categoria número de unidades locais de empresas de alto crescimento em relação ao total de unidades locais.


Confira os demais indicadores de inovação

Indicadores

Posição Nacional

Posição Região Norte

Bolsa de Mestrado e Doutorado

13°

Informação e Comunicação

20°

Investimentos Públicos em P&D

20°

Patentes

22°

Pesquisa Científica

12°

Produção Acadêmica

21°


Competitividade

Os Estados mais bem posicionados no Ranking de Competitividade dos Estados de 2023 são: São Paulo na 1ª colocação, Santa Catarina na 2ª, Paraná na 3ª e Distrito Federal na 4ª. 


Enquanto os Estados do Sudeste, Sul e Centro-Oeste concentram-se na metade superior do Ranking, os do Norte e Nordeste ocupam as últimas posições. Nesta edição, o Ceará tornou-se o representante do Nordeste mais bem colocado (12ª posição), ultrapassando a Paraíba (13ª posição), enquanto o estado do Amazonas (14ª posição) seguiu na liderança da região Norte. 


Os três últimos colocados do Ranking de Competitividade dos Estados de 2023 foram Acre, Amapá e Roraima.


O Pará se encontra na 20ª colocação no ranking nacional, subindo 3 posições em comparação a 2022, porém atrás do Amazonas (13º), Tocantins (14º) e Rondônia (18°). Isso deixa o estado em 4º lugar geral da região norte. 


Segundo o relatório, dentre os 10 pilares usados como referência, os principais potenciais do Estado são: Solidez Fiscal (3°); Segurança Pública (13°); Potencial de Mercado (15°); Capital Humano (17°); Sustentabilidade (18°); e inovação (18°).


Em contrapartida, os principais desafios do Estado são: Educação (25°), Infraestrutura (25°), Sustentabilidade Social (23°), e Eficiência da Máquina Pública (23°). 


Além disso, o Pará se destacou em pilares como Solidez Fiscal e Segurança Pública. O estado ficou em 3° nacional e 1° regional em solidez fiscal e em 13°nacional e 1° regional em Segurança Pública.


Para capturar o grau de solidez fiscal de cada estado, "foram utilizados indicadores que levam em conta dimensões distintas, mas inter-relacionadas, de sustentabilidade fiscal. São eles: Taxa de Investimentos, Regra de Ouro, Solvência Fiscal, Sucesso do Planejamento Orçamentário, Dependência Fiscal, Resultado Primário, Gasto com Pessoal, Índice de Liquidez e Poupança Corrente". Os resultados são referentes ao ano de 2022.


O pilar de Segurança Pública recebe o maior peso (12,7%) entre 10 pilares temáticos que constituem o Ranking de Competitividade dos Estados. O pilar é composto por outros 10 indicadores como qualidade da informação de criminalidade, mortalidade no trânsito, déficit carcerário e mais.


Confira a posição do Pará em todos os indicadores

Pilares

Posição Nacional

Posição Regional

Infraestrutura

25°

Sustentabilidade Social

23°

Segurança Pública

13°

Sustentabilidade Ambiental

18°

Potencial de Mercado

15°

Capital Humano

17°

Eficiência da Máquina Pública

23°

Educação

25°

Solidez Fiscal

Inovação

18°


Confira aqui todos os dados do Ranking de Competitividade Nacional 2023


Leia Mais:

Comments


Últimas notícias

Publique uma notícia

bottom of page