top of page
Belem-negocios-connection.gif

Como portos e terminais do Pará impulsionam o faturamento de empresas na exportação de grãos

O estado está em 1º lugar no ranking de exportação da região Norte e em 7º lugar no ranking nacional por saldo. Os números apontam o crescimento e o estabelecimento do estado como uma das principais rotas de exportação do país; confira


Portos e terminais Pará impulsionam faturamento exportação
Foto: Divulgação

Nos últimos 10 anos o Pará vem traçando uma trajetória de crescimento em relação as exportações. Segundo dados da Federação das Indústrias do estado do Pará (Fiepa), houve um aumento de mais de US$ 786 milhões no comparativo do balanço anual de 2022 para 2023.


O aumento dos números do Estado e os investimentos realizados dos portos e vias de escoamento da produção colocaram o Pará em 1º lugar no ranking de exportação da Região Norte e em 2º no ranking da Amazônia Legal. No ranking nacional, o estado ficou em 3º lugar em saldo, atrás apenas do estado do Mato Grosso, em 1º; e Minas Gerais, em 2º. Além disso, o Pará ficou em 7º lugar nacional em exportação e em 17º em importação.


Em 2023, a exportação no Pará chegou a gerar mais de US$ 22 bilhões, um aumento de 3,45%. Na participação dos números da exportação brasileira, o estado teve um aumento de 1,77%, saindo de 6,44% para 6,55%.


Pará impulsiona o faturamento de empresas

O crescimento nos números relacionados ao estado não contribuiu apenas para o melhor posicionamento no ranking, também, impulsionou o lucro de algumas empresas que utilizam o Pará como rota de exportação ou como ponto de armazenamento.


A exemplo da Kepler Weber, líder no mercado de equipamentos para armazenagem de grãos, que obteve um lucro líquido de R$ 52,2 milhões no primeiro trimestre de 2024, crescimento de 2% na comparação com igual período do ano passado. A Kepler também afirma que houve crescimento no segmento de portos e terminais, que fechou o trimestre com receita de R$ 46,6 milhões, 46,5% maior em comparação ao mesmo período de 2023. Segundo a empresa, os resultados foram impulsionados por três grandes projetos, na Bahia, no Pará e no Mato Grosso.



O crescimento nos números de empresas como a Kepler Weber apontam para o crescimento da exportação de grãos e produtos agrícolas no Pará. Entre os produtos não tradicionais mais exportados no Pará está a soja com mais de US$ 1,6 bilhão em exportações, mais de 3 milhões em toneladas exportadas e uma variação positiva de 18,55%.


O gergelim também faz parte dessa lista com mais de US$ 58 milhões em exportação e uma variação positiva de 355,28%. Os números impressionam, principalmente por seu principal comprador ser a Índia.


O milho também foi destaque na exportação de grãos gerando um valor de US$ 59 milhões e tendo como principal destino o México. As farinhas, sêmolas e pós também tiveram um crescimento, passando de US$ 1.143.244 em 2022 para US$ 2.776.861 em 2023, gerando uma variação positiva de 142,89%


Cidades paraenses que mais exportam

Além disso, dentre as cidades paraenses que mais exportam estão Parauapebas (1º), Canaã dos Carajás (2º), ambas com mais de US$ 6 bilhões em exportação, seguidas por Barcarena (3º - US$ 2 bi), Marabá (4º - US$ 2 bi) e Paragominas (5º - US$ 749 mi). Vale destacar que Parauapebas e Canaã dos Carajás também aparecem no ranking nacional em 4º e 5º lugar respectivamente.


Apesar de se manter no 5º lugar regional, Paragominas é a cidade paraense que mais exporta grãos. Os principais produtos agrícolas enviados pela cidade são: soja (US$ 500 mi), milho US$ 128 mi) e legumes de vagem, secos, em grão (US$ 1 mi). Já cidades como Parauapebas, Canaã do Carajás, Barcarena e Marabá, possuem a maior parte da sua produção, armazenamento e envio voltadas para o minério e para o gado.


Principais portos

Para escoar toda essa produção, os portos do Pará são os mais utilizados, ficando atrás apenas do Porto de São Luís (MA) que tem um volume de US$ 15.928.313.826 bilhões exportados.


O Porto de Belém permanece na segunda colocação dentre as vias de exportação, apresentando um valor de US$ 5.189.074.591 bilhões. Em terceiro lugar está o Porto de Santarém, que exportou um valor acumulado de US$ 537.183.045 milhões, apresentando uma variação positiva de 39,92% e tem a soja como principal produto exportado no período de janeiro a dezembro de 2023.

Portos e terminais Pará impulsionam faturamento exportação
Porto de Belém. Foto: Divulgação/Atlântica Matapi

Além disso, segundo a Associação dos Terminais Portuários e Estações de Transbordo de Cargas da Bacia Amazônica (Amport), 37% dos granéis agrícolas exportados, como milho e soja, passaram pelos nove portos representados pela entidade, seis deles no Pará.


“Seremos o maior corredor porque teremos o menor custo”, prevê Flávio Acatauassú, presidente da Amport. Dos 45 projetos de transporte previstos para o Pará, 22 são de portos e hidrovias. Portos de cinco cidades do Estado terão investimentos, a maior parte em arrendamentos de terminais para grãos ou minerais.


Leia Mais:










Comments


Últimas notícias

Publique uma notícia

bottom of page