top of page
central-cop-30-belem-2025.gif

Belém recebe a Conferência sobre o Desenvolvimento Sustentável da Amazônia como preparação para a COP

O evento é realizado pela Associação de Advogados(as) pela Democracia como uma preparação para a COP-30 e receberá advogados, mestres e o público interessado em discutir pautas e questões a respeito da Conferência do Clima em Belém


Aldo Arantes, coordenador nacional da ADJC. Foto: Mácio Ferreira

Nos próximos dias 15 e 16 a capital paraense recebe um grande evento preparatório para a COP-30: a Conferência sobre o Desenvolvimento Sustentável da Amazônia, realizada pela Associação de Advogados e Advogadas pela Democracia, Justiça e Cidadania (ADJC). As inscrições estão abertas e, segundo a organização, todos aqueles que querem contribuir com o futuro da região amazônica podem participar.


O advogado e deputado constituinte Aldo Arantes, coordenador nacional da ADJC, explica a finalidade da programação. “O objetivo é mobilizar estudiosos sobre a Amazônia e a sociedade em preparação à COP-30. O mundo e os brasileiros estão com olhos voltados para a Amazônia. Por isso, temos que contribuir com a elaboração de um projeto sustentável da região que aproveitem suas riquezas e, sobretudo, sua biodiversidade e também atenda às necessidades do seu povo”, ressaltou.


A conferência será realizada na Universidade da Amazônia (Unama), no campus Alcindo Cacela, e contará com a presença de autoridades e especialistas em diversas áreas. Entre os convidados estão a ministra da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Luciana Santos; o governador do Pará, Helder Barbalho; e o prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues.


Serão conferencistas: Luiz Davidovich, ex-presidente da Academia Brasileira de Ciências e professor da Universidade de Rochester (EUA); Ema Vieira, pesquisadora titular do Museu Paraense Emilio Goeldi; Henrique dos Santos Pereira, diretor do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA); Tanara Lauschner, subsecretária de Ciência e Tecnologia para a Amazônia do MCTI; Edel Moraes, secretária nacional de Povos e Comunidades Tradicionais; Ricardo Galvão, presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); Eron Bezerra, diretor do Centro de Ciências do Ambiente da Universidade Federal do Amazonas (UFAM); Dra. Marina Gadelha, presidente da Comissão de Mudanças Climáticas da OAB Federal; Emmanuel Zagury Tourinho, reitor da Universidade Federal do Pará (UFPA); Vanessa Grazziotin, diretora executiva da Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA); Luís Fernandes, secretário executivo do MCTI ; Zélia Amador, professora da UFPA; e Ualame Machado, secretário de Segurança Pública.


Entre os temas abordados durante os dois dias de evento, destacam-se: Amazônia e mudanças climáticas, modelos de desenvolvimento da Amazônia, vozes da Amazônia, COP-30, sistema de justiça da Amazônia, segurança pública e direitos humanos.


“Vamos discutir como podemos desenvolver nossa floresta unindo o ambiental, social e econômico, afinal, entendemos que são questões que não podem ser tratadas de forma isolada. Não devemos repetir o modelo destrutivo que agride a natureza e os povos da Amazônia, mas também não podemos ver a floresta como um santuário. Podemos proteger e desenvolver, se assim fizermos com base na ciência, tecnologia e os interesses dos povos da Amazônia”, pontua Arantes.


Ao final da Conferência sobre o Desenvolvimento Sustentável da Amazônia, será aprovada a “Carta da ADJC sobre a Amazônia”, que posteriormente será entregue às autoridades a fim de subsidiar a realização da COP de Belém.


“Este documento vai reunir as contribuições para a realização da COP na capital paraense, com análises técnicas, jurídicas e sociais de nossos convidados e inscritos. A ideia é fazer parte desta construção, para garantir que esta edição de 2025 seja proveitosa para Belém, Pará, Amazônia e Brasil”, conta Aldo Arantes.


A Conferência sobre o Desenvolvimento Sustentável da Amazônia tem o apoio institucional do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e OAB-PA, Fundação Maurício Grabois, Governo do Pará, Prefeitura de Belém, Universidade Federal do Pará (UFPA), Museu Paraense Emílio Goeldi, Ministério Público do Pará, Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) e Centro de Ciências do Ambiente da Universidade Federal do Amazonas (UFAM).


Como participar

As inscrições estão abertas e custam R$ 100 para advogados e público geral – membros de movimentos sociais e estudantes têm direito à meia entrada. Para mais informações sobre a programação, palestrantes e inscrições, acesse este link.


Roma News


Leia Mais:


Comments


Últimas notícias

Publique uma notícia