top of page
central-cop-30-belem-2025.gif

Belém está em 1º lugar no ranking de capitais que mais demoram para abrir empresas

Atualizado: há 6 dias

Segundo o Mapa das empresas a capital paraense totalizou 2 dias e 5 horas para formalizar novos negócios


Em 2023, segundo Mapa das Empresas, foram abertas mais de 3 milhões de empresas em todo o Brasil, representando um aumento de 0,7% em relação ao ano anterior. Em contrapartida houve o aumento de 25,7% no número de empresas fechadas em 2023 no comparativo com o ano anterior.


Apenas no Pará, foram abertas mais de 76 mil empresas em 2023, o número representa uma queda de 4,9% em relação a 2022. Isso fez com que o Pará ficasse em 4º lugar na lista de estados que registraram o menor percentual de empresas abertas em 2023, atrás do estado do Acre em 1° com -9,2%; Bahia em 2º com -9,1%; e Sergipe em 3º com -7,2%.


No recorte do último quadrimestre de 2023, o Pará registrou um aumento de 32% no número de abertura de empresas em comparação com o mesmo período de 2022. Porém, também foi o estado que mais teve empresas fechadas nos últimos meses de 2023.


Apesar dos números, a pesquisa mostra que o tempo médio para a abertura de uma empresa no Brasil em 2023 foi de 1 dia e 3 horas, o que representa uma queda de 6,9% em relação ao segundo quadrimestre de 2023. No Pará, o tempo médio para abertura de uma empresa nos últimos quatro meses do foi de 1 dia e 4 horas, deixando o estado em 5º lugar entre os que mais demoram para abrir uma empresa.


Mesmo em quinto lugar, o tempo de 1 dia e 4 horas apresentado pelo Pará, mostra uma queda de 23 horas em relação ao mesmo período de 2022, e uma queda de 12 horas em relação ao segundo quadrimestre de 2023. Já a Bahia, o Amazonas e Sergipe mantiveram seu posto entre aquelas unidades federativas mais ágeis na abertura de empresas.


Vitória (ES) se destaca no final do terceiro quadrimestre de 2023 como a capital mais ágil para se abrir empresas, formalizando novos negócios em apenas 2 horas, queda de 4 horas em relação ao quadrimestre anterior.


Belém

Em Belém, os números apontam para a demora. Entre as capitais com maiores tempos de abertura de empresas no último quadrimestre de 2023, a capital paraense ficou em 1º lugar, totalizando 2 dias e 5 horas para oficializar a abertura. Mesmo sendo a capital mais demorada para abrir uma empresa, o número aponta para uma queda de 2 dias e 14h em relação ao mesmo período de 2022.


Após a capital paraense estão as cidades de Macapá/AP com 1 dia e 6 horas, São Paulo/SP com 21 horas, Porto Velho/RO com 19 horas e Belo Horizonte/MG com 18 horas.


A contadora Thais Alves, membro da Comunidade Belém Negócios e sócia do escritório Planejar Contabilidade e Gestão Empresarial, afirma que a demora depende do seguimento da empresa que está sendo aberta. "Tivemos situações que demoramos mais de 10 dias para fazer a abertura de uma empresa. Especificamente em Belém, dependendo da empresa, existe a vistoria in loco e é isso que demanda um tempo maior, já que a prefeitura faz uma programação por bairro".


Thais presta serviço de assessoria contábil e de gestão através do seu escritório e acompanha o processo de abertura de novas empresas. A contadora comenta que o processo no estado melhorou bastante e sugere mudanças para facilitar a abertura de novos negócios.



"O Estado do Pará já melhorou muito, o processo já é todo eletrônico. Porém, ainda esbarramos no processo da vistoria in loco que gera um atraso. A minha sugestão para gerar mais celeridade seria que a vistoria fosse feita após a abertura do CNPJ. Caso não haja essa possibilidade, então a solução é rever os processos internos para trazer mais agilidade ao sistema".


Perfil dos Empreendedores

O relatório também mostra uma predominância de homens empreendedores, que representam 54,2% dos inscritos no regime de Microempreendedor Individual (MEI), com o Tocantins liderando essa estatística com 59,1%.


No Pará, o percentual de empreendedoras gerenciando empresas aumentou em 37,66% em comparação aos anos de 2018 e 2023. São mais de 179 mil empresas em atividade, registradas nesse período, no estado, com comando feminino, de acordo com balanço da Junta Comercial do Estado do Pará (Jucepa) divulgado em março de 2024.


Até o momento da finalização desta matéria, a JUCEPA ainda não se pronunciou sobre os números apresentados.


Leia Mais:





Últimas notícias

Publique uma notícia

bottom of page