top of page
central-cop-30-belem-2025.gif

Belém aparece em ranking de cidades mais ineficientes no gasto de tributos

Primeiro ranking que mede a boa gestão de impostos municipais foi criado pela consultoria Assertif, especializada na mineração de créditos tributários.

Belém está entre as cinco cidades mais ineficientes no gasto de tributos
Imagem: Reprodução Guia Belém

O ranking das cidades campeãs na ineficiência de investimentos dos tributos em qualidade de vida para o cidadão brasileiro é liderado por duas capitas da região Norte, segundo estudo.


Para cada uma delas, foi atribuído um índice que varia de 0 a 100. Quanto maior a nota, melhor o desempenho.


O Índice de Retorno do Tributo Municipal (IRTM) não se baseia nos gastos da máquina estatal, mas na eficiência desses gastos. É composto por diversos indicadores, como educação, saúde, segurança, saneamento e sustentabilidade.


Em educação, por exemplo, o indicador é formado pelo número de matrículas em creche, adesões à pré-escola, notas do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), entre outros.


Esses elementos medem o resultado final e não quanto foi despendido na atividade.


A cidade que liderou a pesquisa, como sendo a que pratica boa gestão, foi Curitiba, seguida de Vitória (67,9), São Paulo (66,1), Florianópolis (64,9), Belo Horizonte (64,3), Rio de Janeiro (61,7), Palmas (61,6), Goiânia (60,7), Porto Alegre (60,4) e Campo Grande (59,9).


Os cinco municípios com a menor eficiência de gastos para melhoria da qualidade de vida dos cidadãos são: Macapá, com 41,3 pontos; Ananindeua (PA), 43,6; Belém, 44,5; Santarém, 44,9; e Porto Velho, 46,2.


Leia a reportagem completa em Época Negócios.



Comments


Últimas notícias

Publique uma notícia