top of page
Belem-negocios-connection.gif

Bares, restaurantes e hotéis terão acesso a R$100 milhões para a COP

Com a presença do ministro do Turismo, representantes de bancos reuniram com empresários do setor de turismo para tratarem sobre a linha de crédito


Bares, restaurantes e hotéis em belem
Empresários poderão acessar crédito com subsídios junto a vários bancos parceiros

O Ministério do Turismo e a Secretaria Extraordinária para a COP 30 (Secop) promoveram, nesta terça-feira (18.06), uma rodada de negócios entre bancos públicos e empresas que atuam no setor turístico em Belém (PA).


O objetivo foi aproximar empreendedores das instituições financeiras, facilitando o acesso a recursos disponíveis para obras, aquisição de equipamentos e capital de giro. A ação faz parte da estratégia do governo federal de preparação da capital paraense para a 30ª Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas (COP30), que acontecerá em novembro de 2025.


De acordo com estimativas da Fundação Getúlio Vargas (FGV), cerca de 50 mil visitantes participarão dos principais dias da Conferência. Deste total, aproximadamente 7 mil compõem a chamada “família COP”, formada por equipes da Organização das Nações Unidas (ONU) e delegações de países-membros.


Somente para receber este grupo, são necessários investimentos de retrofit e adequações nos meios de hospedagens da cidade, que atualmente concentram perfis nas classes C e D, para perfis nas classes A e B.


aproximadamente 100 hotéis devem estar aptos a acessarem as linhas de créditos

“Nós tivemos uma reunião com os principais bancos públicos do país e concordamos que, dada a urgência e a importância do evento, é necessário flexibilizar prazos, dar mais dinamismo e reduzir a burocracia. Este evento promove a aproximação entre as linhas de crédito disponíveis e empreendedores turísticos”, ressaltou o ministro do Turismo, Celso Sabino.


A Secop estima aproximadamente 16 mil leitos em cerca de 100 hotéis passíveis de tomada de crédito. O secretário extraordinário para a COP30, Valter Correia, destacou a ampla adesão de representantes do setor hoteleiro.


Veja também! Iniciativa promovida pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Governo do Estado do Pará viabilizou a contratação de R$ 140 milhões em crédito para o setor de turismo.


"A participação da classe empresarial foi grande e acredito que renderá resultados muito positivos para construção, reformas, retrofitagem, ampliação, aquisição de mobiliário e até mesmo para garantir capital de giro para os empreendimentos de hotelaria", afirmou.

rodada de negócios aconteceu na sede da SUDAM

O evento aconteceu na sede da Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (SUDAM) e teve todo o dia disponível para negociações. Estiveram presentes na rodada de negócios representantes do Banco do Brasil, da Caixa Econômica Federal, do Banco do Estado do Pará (Banpará), do Banco da Amazônia (Basa) e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).


Já no segmento de bares e restaurantes, são necessárias adequações para padrões sanitários internacionais, investimentos em capacitação de mão de obra e em modernização e renovação de equipamentos.


Segundo dados da Abrasel, o Pará possui atualmente 34.489 mil estabelecimentos comerciais bares e restaurantes, que empregam aproximadamente 1.148.404 pessoas, cujo faturamento, em 2022, foi de R$ 396 bilhões. A associação estima que o faturamento do setor cresça nos próximos anos.

Na ocasião, o prefeito Edmilson Rodrigues assinou um decreto que permite a renegociação de dívidas municipais de empresas do setor hoteleiro. A medida possibilita que os empresários consigam acessar os créditos e condições oferecidas pelos bancos.


FUNGETUR – Uma das linhas de crédito direcionadas aos empreendedores turísticos do Pará é a do Fundo Geral de Turismo (Novo Fungetur), que disponibiliza o acesso a R$ 100 milhões.


Voltado preferencialmente a micro, pequenas e médias empresas e operado por 24 agentes financeiros credenciados, o Novo Fungetur oferece financiamento a juros de até 5% de spread, mais o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) acumulado nos últimos 12 meses.


Nas dependências da SUDAM, foram separadas salas para servirem como uma espécie de agência de cada um dos bancos, para negociar financiamentos, linhas de crédito, tudo para auxiliar o empreendedor turístico de Belém que quer se desenvolver para a COP 30”, enfatizou Celso Sabino.


Para acessar o Novo Fungetur, basta procurar uma das instituições financeiras habilitadas, às quais cabe analisar os pedidos e liberar os recursos.


Com informações do Ministério do Turismo.



コメント


Últimas notícias

Publique uma notícia

bottom of page