top of page
Belem-negocios-connection.gif

Artista Paraense É Convidada Para Expor Obras No Museu Do Louvre, Em Paris

Ela tem um olhar único e sabe contar histórias amazônicas como ninguém. Tanto que foi convidada para expor as suas obras em Paris


Artista Paraense É Convidada Para Expor Obras No Museu Do Louvre, Em Paris
Melina Mello, artista paraense

A paraense Melina Mello, de 21 anos, nunca fez qualquer curso de arte, porém o dom de pintar sempre viveu em sua veia. Encorajada por seu pai para fazer o que gosta, começou a desenvolver a pintar em 2014, desenvolvendo o seu estilo em em paredes, maquiagem artística e quadros. Obras que chamaram a atenção do mais importante e conhecido museu do mundo, o Louvre, em Paris.


Melina começou a viver do seu trabalho há pouco tempo. Em abril desse ano, após a morte do seu pai, a jovem perdeu o medo e decidiu aceitar quem é de fato, uma artista. Desde então, não parou de criar.


“Comecei a me dedicar realmente nas minhas pinturas quando meu pai faleceu. Ele sempre me encorajou a viver disso e dizia que eu deveria acreditar”, explica ela.


A inspiração veio ao seu encontro. Seu primeiro quadro chama-se “O encontro das aves do Ver-o-peso”. Além das paisagens amazônicas, Melina também se inspira na cultura indígena e no amor LGBT.

Melina e seu primeiro quadro no Ver-o-Peso, em Belém

Seu jeito único de recriar sentimentos amazônicos chamou a atenção de uma importante especialista em arte. Lisandra Miguel, da Vivemos Arte descobriu a paraense e a convidou para ser uma das revelações que serão apresentadas em uma exposição no museu do Louvre, em Paris.


Lissandra é responsável por selecionar e convidar artistas brasileiros para expor as suas obras no Carrousel du Louvre. O evento que vai acontecer em outubro de 2022 e vai apresentar os quadros de Melina e de outros artistas.


Uma conquista não só para a Melina, mas para a cidade de Belém, que sempre foi um polo artístico admirado mundo afora. Não sabemos se outros artistas da região tiveram a mesma oportunidade, mas certamente podemos dizer que isso é algo raro. Ter uma obra de arte exposta no Louvre é algo que se assemelha a ganhar um Oscar ou mais que isso.


Segundo Melina conta da reunião que teve com Lisandra, a arte amazônica tem muito valor na Europa e em outros países, justamente por contar histórias de um lugar culturalmente rico, em todos os sentidos.


Melina agora encontra-se em uma correria para conseguir participar do evento. O convite está feito, mas ir a Paris não é barato. Ela tenta juntar o que pode com a venda dos seus quadros, a maioria sob encomenda, e também de produtos que ela mesma personaliza e dispõe em uma loja que criou no WhatsApp Business.


Por uma artista que tão cedo conheceu as perdas da vida e tão rapidamente conseguiu externar esses sentimentos em obras de artes, criando algo que realmente deve ser apreciado, esta talvez deva ser uma causa a se apoiar.


"Cobra Grande", Melina Mello

"A fé de forças invisíveis", Melina Mello

"Anoitecer e as Tãbaki's", Melina Mello

"Amanhecer e o Forte do Presépio", Melina Mello

"O encontro das aves do Ver-o-Peso", Melina Mello

"Desligamento", Melina Mello

Informações


Instagram: @melina_mello

WhasApp: Loja

Comments


Últimas notícias

Publique uma notícia

bottom of page