top of page
Belem-negocios-connection.gif

A Ponte Do Rio Meruú E Seu Impacto Econômico Na Região

Construção beneficia diretamente 12 municípios paraenses e integra o Baixo Tocantins com a Grande Belém


A Ponte Do Rio Meruú E Seu Impacto Econômico Na Região
Foto: Marco Santos / Ag. Pará

O governo do Pará entregou a ponte “Gerson Peres”, sobre o rio Meruú, no município de Igarapé-Miri nesta quita (24). Localizada na PA-151, a nova via integrará a região com a Grande Belém, beneficiando diretamente 12 municípios: Igarapé-Miri, Mocajuba, Barcarena, Abaetetuba, Cametá, Baião, Moju, Belém, Ananindeua, Marituba, Benevides e Santa Izabel.


O percurso de uma margem a outra do rio Meruú agora é feito em 38 segundos pelos veículos. Antes, se esperava até uma hora para atravessar o rio na balsa. O ganho é para a logística, para a produção, para a economia do município e para toda a população que vive no Baixo Tocantins, que segundo o último censo do IBGE ultrapassa 740 mil habitantes.



Como a economia da região do Baixo Tocantins gira em torno da produção, beneficiamento e exportação do açaí, projetando Igarapé-Miri como o maior produtor de fruto do Brasil, a economia da região a partir de agora está dividida em dois marcos temporais: antes e depois da ponte.


"Sem a ponte, a indústria enfrentava muitas dificuldades, já que trabalhamos com um produto perecível. A demora na travessia fazia aumentar o tempo de exposição do fruto à chuva e ao sol, prejudicando muito o produto final. Agora, teremos essa realidade melhorada. Já cheguei a pagar até R$ 2 mil por dia para atravessar nossos caminhões em tempo de safra, então esse valor acabava indo para o preço final do produto", disse Edison Irmão, coordenador de logística de uma empresa de açaí localizada na cidade.


O coordenador de logística explica ainda que a maioria dos fornecedores da empresa fica na margem oposta do rio Meruú, onde está localizada a fábrica, que processa em média 120 toneladas de açaí por dia. O fruto movimenta mais de R$ 3 bilhões na economia paraense. O Pará é o maior produtor de açaí no planeta com cerca de 1,5 milhão de toneladas anuais.


Daniel Silva, autônomo, destaca que a ponte vai facilitar a vida de quem mora na região do Baixo Tocantins. "Eu costumo atravessar a balsa em 40 minutos a depender do trânsito, e agora com a construção da ponte vai ser tudo muito rápido. O governo estadual tá de parabéns por essa contribuição, que vai facilitar com o trabalho de muita gente", disse.


A Ponte Gerson Peres


A Ponte, que tem 560 metros de extensão, ganhou o nome de Gerson Peres em homenagem ao ex-deputado federal paraense falecido em 2020. Localizada no quilômetro 100 da PA-151, ela ponte contém 15 pilares para apoio e sustentação do tabuleiro. Durante a entrega de hoje, filhos e netos do político foram homenageados. Cada um recebeu uma miniatura da placa da ponte Meruú.



Para garantir a segurança da navegação, a ponte foi construída com dolfins de proteção dos seus pilares a fim de evitar choque de embarcações. Os dois vãos centrais para navegação da ponte Gerson Peres podem receber embarcações de até oito metros de altura e até 30 metros de largura.


A rodovia PA-151 tem 255,7 quilômetros de extensão e é o acesso aos municípios de Barcarena, Abaetetuba, Igarapé-Miri, Cametá, Mocajuba, Baião e Moju, foi construída há mais de 20 anos. A PA-151 pode ser acessada por meio das PA’s 481, 483, 403, 252, 407, 467, 469, 256, 471 e 258 e ainda pela Alça Viária.


(Com informações do SETRAN)


Quer saber mais? Siga o Belém Negócios no Instagram e no Google News.

Comments


Últimas notícias

Publique uma notícia

bottom of page