top of page
central-cop-30-belem-2025.gif

2021 Foi Um Dos Anos Mais Quentes Já Registrados, Diz ONU

Veja a lista dos sete anos mais quentes, segundo a Organização Meteorológica Mundial


2021 Foi Um Dos Sete Anos Mais Quentes Já Registrados
Amazônia cercada de fumaça (REUTERS/Arquivo)

O ano passado foi o sétimo ano consecutivo, começando em 2015, quando a temperatura média global foi mais de 1°C acima dos níveis pré-industriais, mostram os conjuntos de dados compilados pela Organização Meteorológica Mundial (OMM).


Embora as condições do El Niño entre 2020 e 2022 tenham tido um efeito de resfriamento sobre as temperaturas médias globais, 2021 ainda foi um dos sete anos mais quentes já registrados, revelaram seis conjuntos de dados internacionais consolidados pela OMM. El Niño refere-se a um resfriamento em larga escala das temperaturas da superfície oceânica no Oceano Pacífico equatorial central e oriental. Tem um efeito de resfriamento global temporário.


A temperatura média global no ano passado foi de 1,11 (± 0,13) graus Celsius acima dos níveis pré-industriais, abrangendo o período de 1850 a 1900.


O Serviço de Mudanças Climáticas estimou que 2021 foi o quinto ano mais quente já registrado, e marginalmente mais quente que 2015 e 2018. A Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA) e a Berkeley Earth descobriram que 2021 foi o sexto ano mais quente já registrado.


A NASA GISTEMP e a HadCRUT também disseram que 2021 foi o sexto ano mais quente já registrado. Dados da Agência Meteorológica japonesa (JMA) Reanalysis Rank 2021 mostram que o ano passado foi, na verdade, o sétimo ano mais quente já registrado.


As diferenças nos conjuntos de dados indicam a margem de erro para o cálculo da temperatura global média.


Desde a década de 1980, cada década tem sido mais quente que a anterior, de acordo com os dados reunidos pelo órgão da ONU, e a tendência provavelmente continuará.


Os sete anos mais quentes foram registrados desde 2015, com 2016, 2019 e 2020 encabeçando a lista. Um forte evento do El Niño ocorreu em 2016, que provocou um aquecimento médio global recorde.


"Os eventos de El Niño de volta significam que o aquecimento de 2021 foi relativamente menos acentuado em comparação com os anos recentes. Mesmo assim, 2021 ainda foi mais quente do que os anos anteriores influenciados por La Niña. O aquecimento global a longo prazo como resultado do aumento dos gases de efeito estufa é agora muito maior do que a variabilidade ano a ano nas temperaturas médias globais causadas por motoristas climáticos de ocorrência natural", disse o secretário-geral da OMM, Petteri Taalas.


"O ano de 2021 será lembrado por uma temperatura recorde de quase 50 graus Celsius no Canadá, comparável aos valores relatados no deserto quente do Saara da Argélia, chuvas excepcionais e inundações mortais na Ásia e europa, bem como seca em partes da África e américa do Sul. O impacto das mudanças climáticas e os riscos relacionados ao clima tiveram um impacto devastador e devastador nas comunidades de todos os continentes", disse Taalas.


O Acordo de Paris pretende manter o aumento da temperatura média global para bem abaixo de 2 graus Celsius acima dos níveis pré-industriais, enquanto busca esforços para limitar o aumento da temperatura a 1,5 graus Celsius acima dos níveis pré-industriais.


Você já segue Belém Negócios no Instagram?

Comments


Últimas notícias

Publique uma notícia